PR: policiais militares sem estrutura, obrigados a atuar contra os próprios interesses

Como já noticiado, o governador paranaense Beto Richa (PSDB) resolveu realizar um cerco militar à Assembléia Legislativa do Paraná (ALEP) para forçar a aprovação, contra a vontade social, do desvio de recursos do Fundo Previdenciário da Paraná Previdência. Sobre esse assunto, João Paulo Mehl, cidadão paranaense, travou um diálogo com policiais militares. Eis o relato, publicado no Facebook dele:

E aí eu chego em casa pela garagem e tem uns 10 PMs em duas viaturas. Eu tava voltando da mobilização na Assembléia Legislativa e resolvi travar um rápido diálogo com eles:

Eu: O que vocês estão fazendo aqui?
PMs: Não tem estrutura de banheiro pra nós e tem um policial que mora aqui.Eu: Mas daqui vão sitiar a Assembléia?
PMs: Pois é, daqui vamos para lá, não tem jeito.
Eu: Pô, mas vocês estão sendo prejudicados também, né?
PMs: Sim, a gente tem família, sabemos que estamos sendo prejudicados, mas a gente é militar, não pode fazer greve, né.
Eu: Este lance de polícia militarizada tem que acabar, é um absurdo.
PMs (unânimes): Com certeza!

Tem mais esta, trabalhador contra trabalhador!

(Foto de destaque: Polícia Militar reúne representantes sindicais para tratar sobre a segurança durante a greve de servidores estaduais da educação — cabo Valdemir da Cruz/PMPR)

2 thoughts on “PR: policiais militares sem estrutura, obrigados a atuar contra os próprios interesses”

Deixe uma resposta